Louvor pelo Dom da Vida (28 de Maio de 1943 – 71 anos)

Pe. CarlosAs mãos de Deus-Pai plasmaram o Universo, as Galáxias… Os dedos de suas mãos criadoras pontilharam o céu azul de estrelas.

Em 28 de Maio de 1943, às duas da madrugada, nascia mais uma estrela das mãos do Criador e do ventre materno da mãe Cremelinda com a participação geradora do pai Theóphilo Domingos.

Deram-lhe o nome de José Carlos.

Muito desejado e esperado após a perda natural de um bebê nos primeiros meses de gestação.

O irmão primogênito Ângelo, de 4 anos, ficou com ciúmes… a irmã Nadir, de 2 anos, alegrou-se…

Nesta madrugada o céu estava azul, as estrelas da via láctea cintilavam, o Cruzeiro do Sul pendurado no céu acolhia uma nova estrela e lhe indicava um Norte.

A casa de madeira era simples, na varanda havia flores. Na cama do casal, com colchão de palha de milho, à luz de um lampião de querosene, sendo parteira a avó Rosa, um menino deu seu primeiro vagido!!

 Uns poucos panos, uma bacia de água… e um bebê forte e sadio era acolhido no banquete da Vida desta abençoada FAMÍLIA.

Que maravilha sou eu Senhor! Vós me formastes as entranhas e me tecestes no seio e no coração de mamãe Cremelinda. Vos louvo e agradeço pelo Dom da Vida que me confiastes.

Decorridos 71 anos dou-me conta que vossos olhos me olharam, vossas mãos meus passos guiaram, vossa luz meu caminho iluminou, vossa estrela guia me deu uma direção, uma missão.

Sondastes meu coração e me fizestes para o amor, para amar e ser amado.

Em vossos desígnos posso dizer: o ser humano é espelho do seu Criador apesar dos seus limites e falhas; a vossa imagem e semelhança o fizestes.

Na presente fase da Vida não reclamo por envelhecer, desejo ser forte como um carvalho acolhendo em seus ramos os pássaros, e dando sombra, consolo, ajuda e esperança aos irmãos que padecem.

Por tudo, meu coração exulta de alegria, agradecido meu espírito engrandece o Deus Pai da Vida:

Obrigado Deus Pai terno e amigo!

* Obrigado mamãe Cremelinda e papai Theóphilo Domingos!

* Obrigado irmãos (as) Ângelo e Nadir que me precederam… Gilberto, Carmem, Cláudio e Moacir que acolhi!

Foi bom ter um lar, ter tido raízes numa Família.

Nos anos que me restam, Dom e Graça, de coração inquieto busco amar, servir, ajudar e defender a vida, caminhando e lançando sementes para que caiam em terra boa e produzam frutos.

Desejo do fundo do meu ser que todo Nascituro tenha raízes, seja acolhido e protegido por uma mãe, um pai, numa Família; nela desabroche sua vida, busque, encontre e siga sua Estrela Guia.

                        Pe. José Carlos Pedrini

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>